Publicidade
TOP 5+1 | CINEMA NACIONAL

Você sabia que hoje, dia 19 de junho é comemorado o Dia do Cinema Brasileiro? A data foi escolhida, pois neste dia, no ano de 1898, a bordo do navio Brésil que vinha de Bordeaux, França, com destino ao Rio de Janeiro, estava o italiano Afonso Segreto, que antes de desembarcar, registrou sua chegada com os aparelhos que trazia, sendo esse o primeiro dia em que foram feitas imagens a partir da tecnologia do cinematógrafo no Brasil.

➜ REDES SOCIAIS:
Instagram | Facebook | Twitter
► Canal no YouTube: INSCREVA-SE

De lá para cá, o cinema nacional sofreu altos e baixos e nos apresentou sucessos como Deus e o Diabo na Terra do Sol, Dona Flor e Seus Dois Maridos, Saltimbancos Trapalhões, O Que é Isso Companheiro?, Central do Brasil, Super Xuxa Contra o Baixo Astral, Carandiru, Bicho de Sete Cabeças, Auto da Compadecida, Cidade de Deus, Tropa de Elite, Aquarius, Benzinho, Flores Raras, Como Nossos Pais, Que Horas Ela Volta?, O Palhaço, Cine Holliúdy, Tatuagem, Estômago, Mais uma Vez Amor, a trilogia Minha Mãe é uma Peça, entre outros.

Hoje, para comemorar essa data tão importante, decidi fazer uma listinha com meus cinco filmes nacionais favoritos, que você não pode deixar de assistir. Tem comédia, drama, filme adolescente, infantil e claro, filme para toda a família. Diversão não vai faltar no 5+1 de hoje.

LISBELA E O PRISIONEIRO
de Guel Arraes

Vou começar te indicando o primeiro filme que eu vi nos cinemas. Nele aprendi que o amor é filme! Então, prepara a pipoca e os lenços, pois você vai se divertir e se apaixonar por essa comédia romântica lançada em 22 de agosto de 2003, nos cinemas brasileiros.

Lisbela e o Prisioneiro, de Guel Arraes, é uma adaptação da peça de teatro homônima de Osman Lins e conta a história de Lisbela (Débora Falabella), a típica mocinha sonhadora de filmes que se apaixona pelo cara errado, o conquistador Leléu (Selton Mello), mas é impossível não torcer para o amor desses dois, mesmo com tudo que está prestes a acontecer na trama.

Confesso que sou apaixonado pelo amor que Lisbela tem pelo cinema, pois desde jovem também sempre amei ver filmes e super entendo o jeito romantizado que ela tem de ver tudo. Culpa da Disney, na minha vida. rs

Além do filme, o ponto alto da trama é sua trilha sonora, que é um show a parte. Tirando os clássicos filmes da nossa rainha Xuxa, não lembro de ter saído do cinema louco para comprar um CD com as canções de um filme como aconteceu com Lisbela e o Prisioneiro, que traz a trilha sonora assinada pelo músico consagrado André Moraes e pelo diretor teatral João Falcão, com canções do Sepultura, Zé Ramalho, Elza Soares, Caetano Veloso e muitos outros. E o que falar de Caetano Veloso?

É impossível assistir ao filme e não ficar cantando por semanas “Você Não Me Ensinou a Te Esquecer“, essa linda canção interpretada por Caetano e que faz parte do casal protagonista. Que atire a primeira pedra quem nunca teve um amor como esses de cinema. <3

DE ONDE EU TE VEJO
de Luiz Villaça

Confesso que fui assistir a comédia romântica De Onde Eu Te Vejo, de Luiz Villaça, sem grandes expectativas. Sempre admirei o trabalho de Denise Fraga na televisão e no cinema e também do grande e saudoso Domingos Montagner, que nos deixou tão cedo.

Num sábado de sol, logo depois do almoço, em 2016, ano que o filme foi lançado nos cinemas, decidi assistir a produção no Cine Belas Artes, tradicional cinema de rua em São Paulo, que eu tenho um enorme carinho. Quando o filme acabou, fiquei tão maravilhado com a história e com a grande homenagem que ele faz a minha cidade, que enquanto saia da sala de cinema e me dirigia a porta da saída do cinema, fiquei tão maravilhado com o lindo por do sol, que estava acontecendo naquele momento, que acho que jamais vou esquecer a sensação que o filme e aquele momento me marcou.

O filme conta a história de uma cidade, de um casal, mas poderia ser de qualquer outro. Desta vez, vamos você vai conhecer a história de Ana Lúcia e Fábio, que depois de 20 anos de casamento, decide se separar e Fábio resolve se mudar para o apartamento em frente ao da ex. Até ai, uma história simples e até boba de separação, mas os personagens são tão deliciosos e o texto é tão gostoso, que é impossível você não se apaixonar pelo casal e torcer para que eles consiga juntos apreendam a viver uma nova realidade e reinventar o amor que sentem um pelo outro.

Confesso que não quero falar muito da história do filme De Onde Eu Te Vejo, pois quero que você se encante assistindo ao filme. Acho que de todos os filmes dessa lista, esse é o único que eu sempre indico para meus amigos assistirem e eles sempre gostam também! Espero que vocês curtam e se apaixonem por eles também, já que para mim, os personagens são como amigos de longa data, que eu gosto de rever de tempos em tempos.

Ah, vale lembrar, que ano passado, enquanto caminhava com um amigo em direção ao Teatro FAAP, para assistir ao incrível musical PIPPIN, que estava em cartaz, ele me mostrou a rua e os dois prédios que foram gravados o filme. Confesso, que até hoje, penso em um dia ir morar lá, de tanto que esse filme me marcou. Será que é muita loucura?

GABRIEL E A MONTANHA
de Fellipe Gamarano Barbosa

Quando pensei em fazer essa lista, confesso que até eu estranhei de ter pensando de cara em Gabriel e a Montanha, filme de Fellipe Gamarano Barbosa, que estreou nos cinemas dia 02 de novembro de 2017, e que infelizmente não foi tão bem assim de público.

No filme, você conhece a história real de Gabriel, um jovem aventureiro cheio de planos, que antes de começar a vida acadêmica na Universidade da Califórnia, decide conhecer a África. Durante a viagem, Gabriel decide subir o Monte Mulanje, um dos mais altos do Maláui.

Sem grandes nomes no elenco, o filme traz uma história para quem assim como Gabriel, gosta de viajar pelo mundo para conhecer não apenas os pontos turísticos, mas para viver e sentir os vários habitantes locais por onde passou.

Tenho boas recordações do filme e do dia que fui assisti-lo nos cinemas e confesso, que ao fim, mesmo ficando chateado com seu desfecho, acabei tendo mais vontade de viajar pelo mundo para conhecer lugares incríveis e também o povo, que lá habita. Em tempos de quarentena, nada melhor que uma sessão pipoca deste filme, para você abrir os olhos e repensar o jeito de viajar.

HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO
de Daniel Ribeiro

Que delicia saber que pelo sucesso de um curta-metragem a gente teve o prazer de se encantar com um longa brasileiro feito para o público jovem, algo não tão comum até hoje.

Lembro até hoje do dia que um amigo me indicou o curta “Eu Não Quero Voltar Sozinho“, do diretor Daniel Ribeiro. Me apaixonei pela história e pelos seus personagens. E que surpresa deliciosa foi saber meses depois, que o filme baseado no curta estava em produção, tanto que até indiquei para o dono da empresa que eu trabalhava, pois na época, a produção estava sem distribuidora.

Uma pena que ele não teve muita visão e não quis apostar na trama, que deu tão certo, que além de fazer sucesso de público e critica, foi o filme brasileiro selecionado para concorrer a uma vaga no Oscar. Não rolou, mas eu sinto que meu tato para bons filmes não me enganou mais uma vez. Parabéns a Vitrine Filmes pelo ótimo lançamento do filme nos cinemas.

Na trama de Hoje eu Quero Voltar Sozinho, vamos conhecer Leonardo, um adolescente cego, tentando lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Típico problema que qualquer jovem já viveu. Tudo vai bem, até que Gabriel chega em seu colégio e novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade.

Filme sobre primeiro amor e que não trata os jovens como idiotas é difícil de encontrar, já que Hollywood está lotada de besteirois repleto de estereótipos. Mas aqui você encontra, além disso, o filme acerta em cheio ao falar de inclusão e também sobre a descoberta da sexualidade, um assunto que é tabu até nos dias de hoje e é tratado de uma forma muito inocente de se ver.

O elenco não é muito conhecido, mas todos são muito bons. Outro ponto forte da trama é sua história gostosinha embalada por uma trilha sonora que vai te agradar. Resumindo, Hoje eu Quero Voltar Sozinho é um filme que merece uma chance e te garanto, você não vai se arrepender, pois querendo ou não, vai acabar se identificando com algumas coisas da trama, pois todos nós, passaremos ou já passamos (no meu caso já passei, graças a Deus) por essa fase difícil que é a adolescência.

TURMA DA MÔNICA: LAÇOS
de Daniel Rezende

O grande cartunista Maurício de Sousa encantou gerações de crianças com seus clássicos personagens. Desde sempre, acredito que você também imaginou como seria se eles pulassem dos gibis ou dos desenhos animados para o mundo real?

Eu já imaginei, mas confesso que nem nos meus melhores sonhos o filme da Turma da Mônica seria tão incrível como foi. Sem exageros, mas Daniel Rezende nos presenteou com uma das melhores produções (não apenas nacionais) do ano passado.

Turma da Mônica: Laços é um presente para os fãs, uma aventura divertida baseada na graphic novel homônima, que conta a maior aventura da Turma do Bairro do Limoeiro. Cebolinha perdeu o cachorrinho de estimação, o Floquinho, e junto com seus amigos Cascão, Mônica e Magali se juntam numa grande aventura para resgata-lo.

Não vou contar muito, pois vocês que não assistiram precisam conferir. O filme tem uma história repleta de aventura, tem humor, uma trilha sonora gostosa e um elenco que caiu como uma luva. Você não vê atores, você vê os personagens criados por Mauricio, que marcaram a sua vida ganhando vida.

O filme é tão legal e fez tanto sucesso (merecido), que a sequência, Turma da Mônica: Lições já foi rodada e está em produção, devendo chegar aos cinemas no ano que vem, por conta da pandemia do Covid-19.

GAROTO CÓSMICO
de Alê Abreu

E claro, eu não podia deixar as animações brasileiras de lado! Fica difícil falar apenas de uma animação, mas prometo que vou indicar mais animações brasileiras por aqui. Hoje, vamos falar de uma das primeiras animações brasileiras que eu tive o prazer de assistir.

O diretor Alê Abreu ficou mundialmente conhecido por seu sucesso de crítica O Menino e o Mundo, indicado ao Oscar de melhor animação, mas vou falar de um de seus primeiros trabalhos, a animação Garoto Cósmico, seu primeiro longa, que estreou nos cinemas brasileiros no dia 11 de janeiro de 2008, sendo o último trabalho do grande ator Raul Cortez, que deu sua voz ao personagem Giramundos.

O filme nos conta a história de três crianças: Cósmico (Aleph Naldi), Luna (Bianca Rayen) e Maninho (Mateus Duarte). Eles vivem em um mundo futurista, o Alto universo, no ano 2973, onde as vidas são inteiramente programadas e eles fazem o que lhes é destinado: estudar, comer, dormir e estudar mais, no Mundo da Programação.

Tentando conseguir mais pontos para ganhar um bônus na escola, uma certa noite eles fogem e se perdem no espaço, onde vão encontrar um universo infinito, esquecido num pequeno circo, o Circo Giramundos, onde vivem novas experiências e apreende a viver sem regras.

O animado musical é completamente deslumbrante, trazendo uma animação tradicional repleta de cores, muita música (com Arnaldo Antunes, Vanessa da Mata, Wellington Nogueira e Belchior), uma história atual e repleta de mensagens positivas e importantes para garotada, além de personagens carismáticos que vão encantar toda a família.

Se você tiver a chance, não deixe de conferir o encantador Garoto Cósmico, do sempre querido e talentoso Alê Abreu.

_________

Espero que vocês tenham curtido e não deixem de assistir aos filmes! Depois volte aqui e me conte o que acharam das dicas 😀

Comentários